loading...
- - -
Latin America European Portal
REDIAL European Network of Information and Documentation on Latin America
CEISAL European Council for Social Research on Latin America
Review Borealis. An International Journal of Hispanic Linguistics

Brasiliana - Journal for Brazilian Studies

Review Brasilien Aktuell : Informationen auf Wirtschaft, Politik und Kultur

Year: 2013 vol. 2 n. 2

Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de (Ed.). Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no BrasilBrasil

Summary

O objetivo deste dossiê foi discutir uma temática sensível e imporante para o Brasil no momento presente. Desde a promulgação da chamada “Lei Áurea” de 13 de maio de 1888 a escravidão está legalmente abolida no Brasil, no entanto ainda em 2013 subsistem situações nas quais trabalhadores são submetidos em unidades de produção variadas a situações que, pela Código Penal Brasileiro, são reconhecidas como de análoga a de escravo. Em tempos de crescimento econômico, projeção internacional e pretensões de se tornar um “global player”, é imprescindível discutir as condições de trabalhadores no Brasil em um contexto de direitos humanos.

Carstensen, Lisa. Trabalho forçado e tráfico de pessoas: uma análise do discurso em instituições e organizações internacionais e brasileirasIn  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 3-31 Brasil
Trabajo esclavo; tráfico de personas; análisis del discurso

Summary

Neste artigo propõe-se uma analise crítica do discurso acerco o combate ao trabalho forçado e tráfico de pessoas. Este discurso evolve-se ao redor dos conceitos liberdade, exploração e dignidade dentro das relações laborais. Ao mesmo tempo esta situado entre uma análise e uma estratégia mais geral da regulação migratória, laboral, de cidadania e do desenvolvimento. Discursos (entendidos num sentido foucaultiano) são cruciais para ter categorias com as quais se observa, interpreta e atua na realidade. Por isso, uma análise estruturada do discurso e a revisão crítica dos conceitos centrais presentes nele é importante. Este artigo baseia-se numa análise qualitativa de relatórios de organizações internacionais e brasileiras desde o ano 2001, entrevistas com especialistas e a revisão da produção acadêmica ao respeito. A pesquisa faz parte do meu doutorado que trata das possibilidades de atuação dos movimentos sócias e sindicais em redes globais de produção no caso do trabalho escravo no Brasil.

Castravechi, Luciene Aparecida; Neto, Vitale Joanoni. O exílio da vida nas margens do mundo. Violência contra trabalhadores escravos em Mato Grosso (1970-1989)In  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 32-56 Brasil
Trabajo esclavo; Mato Grosso; violencia

Summary

O presente trabalho é centrado na investigação a respeito da violência ocorrida contra trabalhadores migrantes conhecidos como peões, no extremo Nordeste do Estado de Mato Grosso. Nesta pesquisa procuramos elucidar algumas questões, tais como: violência, trabalho escravo contemporâneo, exclusão, conflito de terras; migrações; ou seja, alguns dos problemas da região do Araguaia, na qual parte da Igreja Católica tendo Dom Pedro Casaldáliga à frente esteve presente apoiando os segmentos sociais mais vulneráveis, durante os anos do governo militar. O local escolhido para nossas observações foi o extremo Nordeste de Mato Grosso, cortado pela BR-158 e pelo rio Araguaia no sentido Sul - Norte e se deve ao fato paradoxal da modalidade de trabalho, ter se evidenciado na região simultaneamente à entrada dos grandes empreendimentos agropecuários ligados a conglomerados bancários, multinacionais montadoras de automóveis, que supostamente promoveriam a substituição das relações de produção de subsistência juntamente com o denominado trabalho escravo contemporâneo, que no Brasil e mais precisamente nas regiões Norte e Centro-Oeste, têm como padrão o trabalho no setor primário. A Amazônia foi alvo privilegiado das ações governamentais na esfera federal, naquilo que ficou conhecido como o processo de colonização e que se propunha um substitutivo à reforma agrária. Grande número de migrantes do Nordeste brasileiro buscou trabalho na região. Foi naquele contexto que expressões como gato, peão, “empreita” e “escravidão por dívida”, entre outras ganharam sentido e aos poucos se tornaram objetos de um contingente crescente de estudiosos de diferentes áreas do conhecimento, buscando o melhor entendimento do fenômeno do trabalho escravo contemporâneo.

Teixeira, Gabriel da Silva. A política numa política do trabalho escravo: alguns apontamentos sobre o compromisso nacional da cana de açúcarIn  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 57-89 Brasil
Caña de azúcar; sindicalismo; política y democracia

Summary

O presente artigo visa traçar alguns apontamentos sobre os principais sujeitos políticos no agronegócio sucroalcooleiro atual e seus principais projetos políticos para o trabalho e trabalhadores na atividade. O Compromisso Nacional da Cana de Açúcar - espaço tripartite criado em 2008 – possibilitou o acompanhamento das disputas presentes na dinâmica social da atividade. Ainda que proposto para ser “democrático”, o interior deste espaço permite atentar para a existência e manutenção de diversos embates e conflitos envolvendo trabalhadores e patrões, além de assimetrias de influência política. Dialogando com os eventos recentes destas arena, discuto a reconfiguração das redes de poder, os diversos desafios decorrentes que permanecem na atividade e as vias políticas de encaminhamento de demandas e reivindicação do empresariado e trabalhadores.

Figueira, Ricardo Rezende; Sudano, Suliane; Galvão, Edna. Os chineses no Rio: a escravidão urbanaIn  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 90-112 Brasil
Trabajo esclavo contemporáneo; migración china; redes

Summary

Há um grande fluxo de chineses migrando para o Brasil, especialmente desde finais da primeira década dos anos 2000. Já se fala em um número que poderia atingir dez mil na região metropolitana do Rio de Janeiro. Este artigo apresenta uma pesquisa em andamento e aponta relações estabelecidas entre migrantes chineses e trabalho escravo contemporâneo, em meio à complexidade das questões sociais, econômicas, políticas e culturais. Aspectos da migração chinesa são analisados pelos autores em algumas áreas da citada região metropolitana do Rio de Janeiro.

Marques, Maria Celeste Simões; Gomes, Lilian Samantha Vasconcelos. As profissionais do sexo e a justiça do trabalhoIn  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 113-140 América Latina
Profesionales del sexo; derechos laborales; explotación humana

Summary

O presente artigo tem por objetivo colocar em pauta a discussão acerca do reconhecimento de direitos trabalhistas as chamadas “profissionais do sexo”. Abordamos tal temática através do discurso jurídico, sem deixar de tratar, contudo, questões sociais que lhe são inerentes. Iniciaremos a partir da distinção doutrinária entre trabalho ilícito e trabalho proibido e faremos uso da CLT para identificar os elementos caracterizadores de uma relação empregatícia entre a prostituta e seu agenciador, e a sua inviabilidade atual, decorrente da tipificação imposta pelo Código Penal Brasileiro à prostituição subordinada. Por fim trazemos algumas decisões do Judiciário Trabalhista que reconhecem relação empregatícia para profissionais que exercem funções que, de alguma forma se relacionam à atividade prostitucional, evidenciando a dificuldade do Judiciário Trabalhista em reconhecer a Dignidade como primado de Direitos Humanos à esse conjunto de trabalhadoras frente a normatividade posta. Em última análise, a ausência de regulamentação da profissão acaba por alimentar uma cadeia de práticas ilícitas e de exploração humana que as reduz, inclusive, a condições análogas à de escravas.

Moura, Flávia de Almeida. Representação do trabalho escravo na mídia brasileira: relatos de estudo de recepção com trabalhadores rurais maranhensesIn  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 141-161 Brasil
Medios de comunicación; representación; recepción

Summary

O presente artigo apresenta resultados preliminares de um trabalho de campo realizado em agosto de 2013 junto a trabalhadores egressos do trabalho escravo, realizado em Açailândia (MA). Na ocasião, utilizamos a abordagem orientada pela metodologia do grupo focal (COSTA, 2008) para uma primeira aproximação com o tema junto a um grupo de oito trabalhadores que foram contactados e mediados pelo CDVDH/CB (Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos de Açailândia Carmen Bascáran), entidade de referência na região e reconhecida nacional e internacionalmente. A pesquisa faz parte do projeto de doutoramento que tem o objetivo de identificar de que formas os trabalhadores rurais maranhenses compreendem a sua representação na mídia (como eles se veem na televisão). Buscamos analisar qual a identificação dos trabalhadores com os discursos midiáticos que tratam do tema.

Soares, Marcela. Como erradicar o trabalho escravo no Brasil? Notas a propósito do relatório da ONUIn  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 162-186 Brasil
Trabajo esclavo; políticas sociales focalizadas; protección social universal

Summary

O presente artigo analisa elementos apresentados pelo relatório da ONU de 2010 para a solução do trabalho escravo no Brasil, considerando-o a partir da compreensão do atual contexto de crise estrutural do capital e das medidas necessárias para superá-la. Conclui que as soluções apresentadas pelo relatório já são, relativamente, assumidas pelo governo federal, de acordo com a orientação macroeconômica do Banco Mundial, mas que são medidas incapazes de solucionar o trabalho escravo no Brasil.

Filgueiras, Vitor Araújo. Trabalho análogo ao escravo e o limite da relação de emprego: natureza e disputa na regulação do EstadoIn  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 187-218 Brasil
Trabajo esclavo contemporáneo; Estado brasileño; coerción

Summary

O presente texto analisa o trabalho análogo ao escravo no Brasil contemporâneo. O objetivo do trabalho, produto de pesquisa efetuada entre os anos de 2009 e 2013, é apresentar a natureza do trabalho análogo ao escravo e explicar como o Estado brasileiro tem prescrito e tentado efetivar controles da exploração do trabalho com base em limites à existência da própria relação de emprego. Mais especificamente, o Estado determina um limite externo à relação de assalariamento no Brasil, que contempla o tipo de coerção específica do capitalismo, pois independe da coação individual do comprador da força de trabalho para se configurar. Os desafios à diminuição da incidência de condições de trabalho análogas à escrava são colossais, e incluem resistências desde os próprios aparelhos do Estado.

Prado, Adonia Antunes; Arrochella, Luciana Siqueira da Costa D'. Panorama da Educação para a prevenção do trabalho forçado no BrasilIn  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 219-235 Brasil
Trabajo forzado; educación; esclavitud; prevención

Summary

O mundo atual, apesar de apresentar o maior volume de riquezas jamais conhecido e níveis de desenvolvimento econômico, científico e tecnológico inalcançados anteriormente, se caracteriza, também, por uma dívida social inédita. O documento da OIT intitulado Estimación Mundial sobre el Trabajo Forzoso, publicado em junho de 2012, indica que em todo mundo existem perto de 20,9 milhões de pessoas exercendo atividades econômicas que se podem classificar como tal. Estas resultam de coerção ou de engano: ausência de concordância do trabalhador; imobilização, pela existência de dívidas contraídas com o patrão ou agente a seu mando, retenção de documentos e ameaças de denúncia às autoridades migratórias do país. Noventa por cento desses trabalhadores são explorados na economia privada e 14,s milhões encontram-se em atividades na agricultura, construção, trabalho doméstico, ou em manufaturas. O Código Penal Brasileiro tipifica o crime de exploração de mão de obra forçada em seu Artigo 149. De 2003 a 2012, segundo dados da Comissão Pastoral da Terra, as atividades em que o trabalho forçado foi encontrado são a pecuária (preparação de pastos) (29%) e a cultura canavieira (27%), do montante de 60.890 casos denunciados e 38.692 trabalhadores resgatados por agentes do Estado. Vale informar que é crescente a presença de casos de trabalho escravo em regiões urbanas, onde as manufaturas de roupas e a construção civil são as campeãs.Neste campo,se faz necessário não apenas investigar e punir culpados, mas promover ações as mais diversas no sentido, dentre outros da prevenção. Atualmente, vêm sendo desenvolvidos diversos tipos de campanhas de combate e prevenção do trabalho forçado no Brasil: a) algumas campanhas visam ao esclarecimento de trabalhadores envolvidos e potenciais envolvidos com situações de trabalho escravo ou análogas às mesmas; b) há campanhas dirigidas a professores e professoras de redes públicas de ensino e estão voltadas para a formação de sujeitos multiplicadores do trabalho de divulgar e prevenir futuras situações de risco, dado que se encontram atuando profissionalmente com a população infantil e juvenil de municípios onde se tem encontrado um número significativo de moradores que migram para trabalhar e findam por cair em situações de escravidão; c) Outras campanhas são dedicadas a crianças, jovens e estudantes de turmas de Educação de Jovens e Adultos; d) são realizadas atividades educativas por meio de parcerias entre instituições do Estado e da sociedade civil, como ONGs, empresários, operadores da justiça, dentre outros sujeitos. Por meio delas se pretende modificar formas de pensar e agir em relação à realidade social, buscando-se transformar características culturais que, muitas vezes, levam a que se percebam como “naturais” as formas de utilização da mão de obra de trabalhadores e trabalhadoras que desrespeitam direitos legais e legítimos, pois entende-se que sempre foi assim, ou porque todo mundo age desta forma. Tais campanhas e ações educativas poderiam ser caracterizadas por Paulo Freire como trabalhos de conscientização. Com elas, tem-se em mente transformar atitudes, modificar disposições culturais, educar sujeitos sociais envolvidos diretamente ou não com a questão do trabalho forçado, de forma a criar novas disposições a respeito de práticas que afrontam os direitos humanos e a ideia moderna de República.

Coutinho, Elen da Silva; Germani, Guiomar Inez; Oliveira, Gilca Garcia de. Expansão da fronteira agrícola e suas relaçõs com o trabalho análogo a de escravo no oeste da Bahia In  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 236-263 Brasil
Concentración de tierras; Agronegocio; Expansión de la frontera agrícola; Trabajo análogo al de esclavo

Summary

Este artigo trata da expansãoterritorialdocapital e a relação com trabalho análogo a de escravo, na região Oeste da Bahia. A região Oeste concentra maior incidência de casos no Estado, tanto no número de trabalhadores resgatados quanto de empregadores infratores. Ao mesmo tempo em queo Oeste baiano é polo de trabalho escravo na Bahia é, também, polo da expansão do agronegócio. A expansão da fronteira agrícola se deu majoritariamente nas culturas ligadas ao agronegócio – soja, algodão e milho – atividades que concentram o número de resgate de trabalhadores escravos. Para verificar a expansão territorial do capital, foi analisada a modificação na estrutura produtiva e na estrutura fundiária nas ultimas décadas. Os dados evidenciam a relação direta entre a concentração de terras, a expansão da fronteira agrícola, o desenvolvimento do agronegócio e o trabalho na forma mais degradante: trabalho análogo a de escravo.

Oliveira, Gilca Garcia de; Germani, Guiomar Inez; Silva, Elen Coutinho; Araújo, Théo Nascimento de. Trabalho análogo a de escravo na Bahia: desmascarando o exploradorIn  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 264-288 Brasil
Trabajo análogo al de esclavo; bancada ruralista; Bahia

Summary

Após o reconhecimento da presença do trabalho análogo a de escravo no País, como resposta da pressão popular e internacional, o Estado vem implementando medidas de combate deste crime tratado no artigo 149 do Código Penal brasileiro. É importante reconhecer avanços em algumas destas medidas como no caso da criação dos Grupos Especiais de Fiscalização Móvel (GEFM) e da “Lista Suja”. No entanto, em outras instâncias como no caso da PEC438A, sua aprovação na Câmara levou à proposição, por representante da bancada ruralista, de uma nova definição para o artigo 149 por meio da PL3842/2012 que pode incorrer em retrocessos quanto ao entendimento jurídico do trabalho análogo a de escravo. Assim, busca-se analisar aqui a atuação no bloco de poder de representantes de classes ou frações de classes quanto aos encaminhamentos adotados nas Plenárias das Casas Legislativas.

Silva, Waldimeiry Correa da; Góes e Góes, Karine Dantas. Proteção contra as formas contemporâneas de escravidão: uma garantia constitucionalIn  Figueira, Ricardo Rezende; Carvalho, Vinicius Mariano de Direitos Humanos e Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil p. 289-312 Brasil
Formas Contemporáneas de Esclavitud; Ofensa a la Dignidad Humana; status constitucional de las normas internacionales de derechos humanos

Summary

Inicialmente as oito espécies do gênero formas contemporâneas de escravidão (escravidão; tráfico de escravos; trabalho forçado; servidão por dívida; servidão rural; tráfico de seres humanos) serão conceituadas a partir das normas internacionais promulgadas no Brasil, seguida da interpretação conferida pelos tribunais internacionais de direitos humanos que se manifestaram sobre a matéria em casos concretos. Posteriormente será demonstrada a opção do constituinte originário pela dignidade da pessoa humana e do valor social do trabalho como fundamentos da República Federativa do Brasil, bem como o parâmetro mínimo de dignidade humana a partir da Declaração Universal dos Direitos do Homem, da Convenção Americana sobre Direitos Humanos (Pacto de São José da Costa Rica), da Declaração sobre os Objetivos e Propósitos da Organização Internacional do Trabalho (Declaração da Filadélfia) e das 81 (oitenta e uma) convenções internacionais da OIT assinadas pelo Brasil. Neste momento, serão demonstrados os aspectos material e formal das normas constitucionais, em especial, dos direitos fundamentais, para demonstrar que as normas internacionais de direitos humanos são materialmente constitucionais e, ao final, se concluir pela hierarquia constitucional das normas internacionais de direitos humanos promulgadas no Brasil, como melhor interpretação das normas e princípios constitucionais.

Schneider, Nina. The forgotten voices of the militares cassados in Brazil. p. 313-344 Brasil
Brasil, militares revocados, régimen militar, represión, memoria

Summary

Forcibly retired military officials whose political rights were withdrawn (militares cassados) during the military regime have previously received no attention from either the military institution or civilians (the State, the general public, and scholars). It is only recently that the Brazilian Truth Commission appointed a subgroup to investigate the militares cassados and that new research projects have been initiated. This article asks why research on military repression has been neglected for so long, and discusses three hypotheses. It then introduces two militares cassados ─ Brigadier Rui Moreira Lima, whose political rights were withdrawn despite his distinguished military career in the Second World War; and Ivan Proença Cavalcanti, a military official who defied instructions from his superiors to open fire on students. Based on oral history interviews, autobiographies, military journals, and intelligence files, this article aims to kick-start a discussion about whether the neglect of the militares cassados may be symptomatic of a historiographical tendency to homogenise the Armed Forces in Brazil.

Muniz, Túlio Souza. A “Guerra da Lagosta” , o “Dispositivo Pós-Colonial” e o Golpe de 1964. p. 345-370 Brasil
Militares; Guerra de la Langosta; Pos-colonialismo

Summary

Este artigo aborda conflitos económicos e diplomáticos internacionais que, no discurso jornalístico e no imaginário social, são precipitadamente classificados como “guerras”. Parece ter sido o caso do conflito entre Brasil e a França, em 1963, que culminou com o que a imprensa chamou de “a guerra da lagosta”, pretexto para eclosão do que chamarei “Dispositivo Pós-Colonial” (DPC) e uma espécie de laboratório para o enfrentamento dos militares brasileiros com o governo João Goulart.

Grizoste, Weberson Fernandes. Gonçalves Dias e a Procura da Identidade Nacional Brasileira. p. 371-400 Brasil

Summary

This article talks about the Indianism roots and the issues of Brazilian National Identity through analysis of by two works of Gonçalves Dias: Meditação and Os Timbiras. In the prose-poem the poet blurts the social reality and the political problems of the Brazil Empire; already in the epopee he reproduces one European and multifaceted ideal about the beginning of the nation.

Vejmelka, Marcel. O Brasil no espelho de Amaterasu: O Japão de Aluísio Azevedo. p. 401-433 Brasil
Aluísio Azevedo; Japón; naturalismo; cultura japonesa

Summary

De 1897 a 1899, Aluísio Azevedo esteve como vice-cônsul em Yokohama. Nesses anos concebeu e esboçou um livro sobre a cultura e sociedade japonesas no passado e no presente, do qual chegou a escrever somente a primeira parte, dedicada à História do Japão. Este fragmento, publicado em 1984 por Luiz Dantas, possibilita analisar a visão de Azevedo da nação e cultura japonesas, a serem compreendidas dentro do contexto histórico do fim do século XIX e em relação com as conflitividades internas da nação e cultura brasileiras como Azevedo as tratou nos seus romances naturalistas.

Simões, Teresa Cristina Duarte. Como era ruim o meu francês. p. 434-449 Brasil
Cine brasileño; representación; indio; floresta amazónica; alteridad

Summary

Desde muito cedo, o cinema brasileiro começou a representar o índio nacional. As imagens propostas vão da do bom selvagem rousseauniano à do indígena espoliado de sua cultura e de suas raízes em luta para reaver as terras dos antepassados. Diversos filmes rodados no Brasil por diretores estrangeiros ou com uma certa cultura estrangeira, propõem elementos interessantes para analisar essa questão de representação, mais precisamente, os filmes: A Terra dos Homens Vermelhos, Corumbiara et Amazon for ever.

Gagliardo, Vinicius Cranek. Condições de saúde no Brasil Colônia: primórdios da higiene pública como política governamental no Rio de Janeiro dos vice-reis. p. 450-476 Brasil
Medicina; Rio de Janeiro; higiene pública; virreyes
Siglo XVIII

Summary

Este artigo tem por objetivo mapear as condições de saúde no Brasil Colônia, em especial os primórdios da higiene pública como política de governo,política esta que teria se desenvolvido no Rio de Janeiro a partir de meados doSetecentos, principalmente durante o período dos vice-reis. Para tanto,analisarei o que teria sido a medicina nos tempos da Colônia, quem eram seuspraticantes, quais as condições de saúde do Rio de Janeiro colonial e qual otipo de planejamento urbano, sustentado na higiene pública, desenvolveu-se nofinal do século XVIII, o qual estaria na base do tipo de medicina que viria ase consolidar no século seguinte no Brasil: a medicina social.

Mariz, Maria Elisa Almeida; Bógus, Lucia Maria Machado. Empreendedorismo Feminino: Imigrantes portuguesas em São Paulo. p. 477-505 Brasil
Inmigrantes - Empresarios - Capital social

Summary

This paper presents the trajectory of Portuguese female immigrants who came to the city of São Paulo in the last two decades of 20th century and records their surviving strategies, initially looking for work and subsequently as entrepreneurs in their own business: restaurants, travel agency, fado singer, and others. Its primary aim is to identify, from their narratives, the entrepreneurship level of these women and the capital stock equity of their ownership, use, and from which they could be able to develop over four decades living in this huge metropolis. In this context, it is also sought the way social networks supporting their arrival were accessed during their period adapting to the city and on performing their business ventures. The analytical and interpretative path from the face to face interviews with these Portuguese immigrants allow us to conclude that social capital is an extremely relevant resource to entrepreneurship.

Lôbo, Rodolfo Jakov Saraiva; Pinheiro, Daniel Rodriguez de Carvalho. Espertos ou Malandros: Como Pequenos Empresários e Vendedores Justificam Práticas Lesivas. p. 506-552 Brasil
Tramposos, Pícaros, Empresarios, Vendedores

Summary

O presente trabalho tem como por objetivo verificar se o pequeno empresário justifica práticas que em si e por si são delitos, chamando a quem as pratica de esperto, pouco malandro, malandro, muito malandro ou trapaceiro. Com base no trabalho de Pinheiro et. al. (2010) foi constituído o questionário. A amostra foi composta por 110 empresários e 111 vendedores, totalizando 221 respondentes. A análise dos resultados se deu por abordagens quantitativas, Foi observado que a maior parte das respostas está concentrada na dimensão trapaceiro.

Brasiliana - Journal for Brazilian Studies
Free numerical version | Semestral | Denmark Online ISSN: 2245-4373
Year of creation: 2012

Publisher: Aarhus University
Address: Department of Aesthetics and Communication - Aarhus University
Jens Chr. Skous Vej 2, Bygn 1484 - 639
8000 - Aarhus - DK

Publicación dedicada a los Estudios Brasileños, abierta a investigadores de las diferentes disciplinas de Humanidades y Ciencias Sociales.

Review summaries

Ceisal Redial © REDIAL & CEISAL. Editorial responsibility: Araceli García Martín - AECID (Madrid, España),
Jussi Pakkasvirta - Ceisal (Helsinki, Finlandia).
Web development: Olivier Bertoncello Data Consulting    Web hosting: CCIN2P3: CCIN2P3