loading...
- - -
América Latina Portal Europeo
REDIAL Red Europea de Información y Documentación sobre América Latina
CEISAL Consejo Europeo de Investigaciones Sociales de América Latina

Simpósio internacional: A cidade no Brasil : Nascimentos, renascimentos (séculos XVIII-XX)

Congreso o simposio | Francia - La Rochelle
2005-06-16 / 2005-06-18
Laurent Vidal. Desde o início dos anos 1990, a história urbana do Brasil vem apresentando consideráveis avanços. Numerosos estudos, produtos do encontro de olhares de disciplinas diversas, tornaram possível uma reavaliação do papel das cidades na política colonial portuguesa, enfatizando a originalidade das práticas urbanísticas e a complexidade das sociedades urbanas, tanto no período colonial quanto, posteriormente, no período industrial. Mas a exploração deste imenso campo historiográfico está apenas no início : alguns temas merecem ser revisitados, certas questões devem ser retomadas e reformuladas. 0 Simpósio A cidade no Brasil : nascimentos, renascimentos se insere neste movimento de renovação historiográfica, apoiando-se em uma pesquisa coletiva realizada no Brasil desde outubro de 2002. Esta tem por objeto o estudo comparativo das transformações vividas por uma dada cidade em o seu nascimento e múltiplos renascimentos. Este Simpósio busca refletir tanto sobre a multiplicidade das formas urbanas e da vida social no Brasil, quanto sobre o papel da descontinuidade das identidades na dinâmica urbana. Com efeito, ninguém até hoje ousou enfrentar o desafio lançado por Claude Lévi-Straus em Tristes Trópicos : « Poderíamos (no Brasil) auscultar as cidades como um botânico ausculta as plantas, reconhecendo o nome, o aspecto e a estrutura de cada uma, seu pertencimento a esta ou aquela grande família do reino acrescido pelo homem à natureza : o reino urbano ».
Sem pretender estabelecer um catálogo destes « tipos de cidade », trata-se de aproveitar a multiplicidade das configurações urbanas no Brasil para realizar um verdadeiro estudo comparativo. Casos de cidades situadas nas frentes pioneiras (freqüentemente negligenciados) deverão ser privilegiados, sem que isso exclua o interesse por análises de outros contextos.
1. Fundação de cidades: nesse país jovem, onde as novas cidades são a regra, o que significa fundar uma cidade ? A partir da multiplicidade de formas de fundações (desde o "patrimônio", de iniciativa particular, até a vila e a cidade), faz-se necessário reinserir este gesto simbólico no contexto da competição entre os diferentes poderes políticos - central, regional ou local – civis, religiosos e econômicos.
2.Manifestações de urbanidade das cidades nascentes: será que o fato de estas cidades fundadas terem uma forma e um nome, e freqüentemente uma função principal quando de sua criação, é suficiente para que se possa concluir que elas abrigam uma verdadeira população urbana ? Trata-se aqui de determinar como uma sociedade urbana, pouco a pouco, toma forma e adquire um certo grau de autonomia. Como se manifesta a urbanidade das cidades em regiões distantes, nos confins do país ? E como uma sociedade pode fracassar no seu processo de formação ?
3. Transformações e renascimentos urbanos: Os casos de abandono, de « parada no tempo » ou de renascimentos urbanos são abundantes na história do Brasil. Como se manifestam estas mudanças no plano social, cultural e espacial ? Como se realiza a passagem de uma forma de organização espacial a outra ? Como essas formas se influenciam mutuamente e se articulam, levando em conta que não se trata de seqüências distintas umas das outras, mas sim, de momentos fluidos, anômicos, produtos de entrelaçamentos e superposições, de articulações originais. Entre esses momentos de « renascimento », um lugar importante é ocupado pelo período contemporâneo, marcado pela entrada em cena da memória e do patrimônio das cidades : festas « tradicionais », transformação dos centros históricos em locais turísticos.
4. Representações das mutações urbanas: como se apresentam e são percebidos esses momentos de mutação ? O estudo dos discursos sobre as cidades e as imagens urbanas será aqui privilegiado. Trata-se, de certa forma, de trazer à luz uma gramática da cidade em transição, onde formas, usos das formas e discursos sobre esse tema encontram uma articulação original.
Université de La Rochelle. Espace Nouveaux Mondes 1 parvis Fernand Braudel 17042 La Rochelle 00 33 1 45 46 72 43 lvidal@univ-lr.fr.
Ceisal Redial © REDIAL & CEISAL. Responsabilidad editorial: Araceli García Martín - AECID (Madrid, España),
Jussi Pakkasvirta - Ceisal (Helsinki, Finlandia).
Desarrollo web: Olivier Bertoncello Data Consulting    Alojamiento web: CCIN2P3